Ações da dona da American Airlines viram pó após concordata

Por Téo Takar e Luciana Seabra | Valor

SÃO PAULO – As ações da AMR, controladora da American Airlines, estão virando pó em Wall Street nesta terça-feira, depois que a companhia entrou com pedido de concordata.

Por volta das 14h45, os papéis despencavam 80,9%, cotadas a US$ 0,309 na Bolsa de Nova York (NYSE). No pior momento do dia, logo na abertura do pregão, as ações chegaram a valer apenas US$ 0,20, uma queda de 87,6%.

A AMR anunciou hoje que recorreu voluntariamente ao capítulo 11 da legislação dos EUA para reorganizar sua estrutura, o que significa que pediu concordata.

“A American tomou essa atitude a fim de alcançar uma estrutura de custo e dívida que seja competitiva na indústria aérea”, afirmou a empresa em comunicado.

A companhia disse ainda que manteve os horários de voos, assim como devoluções, reembolsos e programa de fidelidade, e que espera manter as operações funcionando normalmente ao longo do processo judicial. De acordo com a empresa, a atitude não tem impacto direto em seus negócios fora dos EUA.

Nos nove primeiros meses deste ano a companhia reportou prejuízo líquido de US$ 884 milhões. No mesmo período de 2010 as perdas foram de US$ 373 milhões.

A empresa era a única entre as maiores companhias aéreas dos EUA que não havia pedido recuperação judicial na última década.

(Téo Takar e Luciana Seabra | Valor)

Fonte: Valor Econômico

Compartilhar

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter