Cortes de IPI não devem afetar receitas da União, diz Paulo Bernardo

A desoneração do Imposto sobre Produtos Industrializado (IPI) de automóveis e materiais de construção não deve afetar as receitas da União em 2010, afirmou ontem o ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo.


“O rescaldo do IPI não pode afetar as receitas de 2010. O IPI mais expressivo, que é o dos automóveis, tem data para acabar e vai reduzir até dezembro. No caso do material de construção deve ficar um pouco mais, porque o setor tem um ciclo maior. Aí é um valor menor, que não tem muita importância”.


Quanto à tramitação do projeto de lei orçamentária, entregue ontem ao Congresso, o ministro disse que o governo irá acompanhar e pedir aos parlamentares que preservem os recursos destinados ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e aos programas sociais.


O ministro também afirmou que a qualidade das despesas do governo está melhorando cada vez mais. Ele citou como exemplo o Bolsa Família, que deve atingir 12,7 milhões de famílias em 2010. Paulo Bernardo disse que o Ministério da Previdência já anunciou o corte de 500 mil benefícios de pessoas que estavam recebendo indevidamente. “Temos o tempo todo que fazer um esforço para melhor a qualidade da despesa”.

Fonte: Agência Brasil – ABr

Compartilhar

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter