ICMS atrapalha multinacional de cosméticos no Brasil

O regime paulista de substituição tributária do Imposto sobre circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) alterou os resultados mundiais da multinacional de cosméticos L´Oréal. A empresa divulgou o balanço do primeiro semestre na sexta -feira, com vendas totais, até 30 de junho, de 8,646 bilhões de euros, levando a um pequeno crescimento de 1,6% na comparação com igual período de 2007.


No Brasil, o primeiro mercado em coloração de cabelos para a empresa, “as vendas estão melhorando, mas continuam freadas pela aplicação de uma nova lei tributária para produtos cosméticos no Estado de São Paulo”, segundo o relatório da companhia. O documento se refere ao regime de substituição, em vigor desde fevereiro, pelo qual a indústria passou a pagar o ICMS de seus produtos antecipadamente, inclusive as incidências posteriores no decorrer da cadeia de circulação. Isso acabou encarecendo os cosméticos da marca, que chegaram a subir até 50% sobre os preços de 2007.


Na América Latina, como um todo, houve crescimento de 4,6% em vendas comparáveis no primeiro semestre, com relação ao mesmo período de 2007. Isso graças à Argentina, Venezuela, Uruguai, Chile e Panamá, países que registraram forte crescimento em todas as divisões de produtos da francesa.


Os Estados Unidos e Europa apresentaram resultados decepcionantes. No mercado europeu, as vendas totais caíram 1,3% no segundo trimestre e 0,1% no semestre. Na América do Norte, a queda chegou a 6,5% no semestre (em relação aos primeiros seis meses de 2007). A companhia avalia que nessas regiões, devido à economia mais lenta, os consumidores estão indo menos aos salões de beleza e gastando pouco com produtos como protetores solares.


Jean-Paul Agon, presidente da L´Oréal, disse que as vendas este ano devem crescer “perto de 6%”, resultado inferior ao previsto em fevereiro, algo entre 6% e 8%. A L´Oréal divide seus negócios em cosméticos, produtos de dermatologia e rede de lojas The Body Shop. A linha de cosméticos mundialmente registrou ? 8,134 bilhões de euros na primeira metade de 2008. No ano passado foram ? 8,014 bilhões de euros . No mesmo período, a The Body Shop somou ? 334 milhões de euros e a divisão de dermatologia, com o melhor resultado, cresceu de ? 159 milhões de euros para ? 178 milhões de euros .

Fonte: Valor Online

Compartilhar

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter