Empresas têm redução de 75% do Imposto de Renda com os incentivos fiscais da Sudene

O ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, entregou pessoalmente os Laudos Constitutivos de Incentivo Fiscal para as empresas instaladas na Bahia. Grandes empresas instaladas no estado, como Petrobras, Mineração Caraíba, Semp Toshiba e Azaléia foram beneficiadas.

A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) nos últimos anos investiu na modernização dos seus empreendimentos cerca de R$ 3,6 bilhões e prevê uma economia tributária da ordem de R$ 2,05 bilhões nos próximos dez anos, graças aos incentivos concedidos pela autarquia.

O ministro Geddel Vieira também apresentou para os empresários as linhas de financiamento e incentivos fiscal da Sudene, órgão vinculado ao Ministério da Integração Nacional. Entre eles, o financimento por meio do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste – FDNE – e a redução de 75% do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica.

Para o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, a política de incentivos fiscais da nova Sudene difere totalmente do sistema de incentivos como o do ICMS, fomentador da chamada guerra fiscal entre estados. “A Sudene obedece critérios sociais e de equilíbrio da economia territorial brasileira, na mesma visão de Celso Furtado”, afirmou o Ministro, lembrando o fundador da Sudene e titular do período áureo do órgão na década de 60.

Paulo Fontana, superintendente da Sudene, destacou que o fato de grandes empresas estarem recebendo incentivos fiscais retrata o potencial do Nordeste e o quanto a empresa é importante para o desenvolvimento da região. “Estamos desenhando uma nova gestão para a Sudene. Vamos à Federação das Indústrias do Estado de Bahia mostrar o que a Sudene tem a oferecer para os investidores”, ressalta o superintendente.

Mais de 300 empresas em todo o Nordeste já receberam incentivos. No último mês, a Diretoria Colegiada da instituição aprovou o financiamento de uma Central de Geração Eólica no Ceará. Os recursos de R$ 60.352.044,31 virão do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FDNE) a juros mais baixos que os de mercado. O orçamento do FDNE para este ano é de R$ 1,3 bilhão.

Fonte: Audi Factor

Compartilhar

Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter